Saudade do Iguaçu: Mulher perde mais de 2.200 reais no golpe da marmita

Na tarde de sexta feira, dia 05, compareceu no Destacamento da Polícia Militar de Saudade do Iguaçu, a proprietária de um restaurante no município, relatando que recebeu uma ligação do numero DDD 65, de um individuo identificando-se como Roberto, encomendando 20 almoços por dia, durante 20 dias. Sendo que a noite, recebeu outra ligação do mesmo numero, relatando que teria sido efetuado um depósito do valor referente ao pagamento de metade dos almoços na sua conta, que a mesma tinha passado anteriormente para Roberto, no valor de R$ 4.820,00 e que por engano ele teria efetuado e deposito à mais do que o valor combinado, e se a mesma estornava o valor excedente pra ele, sendo que então a senhora fez três deposito estornando o valor que ela acreditava ser excedente totalizando R$ 2.225,00.

No dia seguinte, a proprietária do restaurante entrou em contato com o gerente do banco e foi informada que o deposito na sua conta teria sido efetuado em envelope vazio. Momento que ela percebeu que caiu em um golpe. Diante dos fatos a mesma foi orientada dos procedimentos cabíveis.

O MESMO GOLPE EM CORONEL VIVIDA

Na última quarta feira, dia 03, a proprietária de um restaurante procurou a polícia para relatar que os golpistas haviam tentado sem sucesso aplicar o mesmo golpe em Coronel Vivida. Na ocasião, compareceu até a sede da 3ª Cia, uma senhora, a qual é proprietária de um restaurante, relatando que na data de 26/12/2017 recebeu uma ligação de uma pessoa que se identificou como Roberto, responsável por uma empresa de construção, de nome “Torres Empreendimentos”, onde o mesmo solicitou um total de 200 marmitas, sendo 20 marmitas diárias, pelo período de 10 dias, que a mesma informou que daria o total de R$5200,00 que seriam pagos em duas parcelas, uma de entrada e outra após 10 dias. Em outro momento, o suposto responsável por tal empresa, através de mensagem pelo aplicativo WhatsApp, disse ter feito o depósito na conta da mesma, enviando ainda imagem de um comprovante, mas disse que ocorreu um erro e que teria depositado um valor a mais do combinado, e pediu que a proprietária do restaurante devolvesse a metade, ou pelo menos um valor de R$1700,00.

A senhora foi até a agência do banco Itaú, onde verificou não haver tal valor em sua conta, que deveria ser R$4.990,00, e também percebeu que os dados de agencia e conta que constavam no comprovante enviado não batiam com os dados da conta bancária em seu nome. Relata ainda que não depositou o valor solicitado pelo golpista e que vem recebendo diariamente mensagens do número (65) 8422-9373, para que ela devolva o valor solicitado, senão ele irá acionar seus advogados. Desconfiada, ela procurou esta Cia PM, onde em uma breve busca na internet, foi possível encontrar o mesmo golpe que foi aplicado na cidade de Campo Grande/MS. A mesma foi orientada quanto aos procedimentos.

Fonte: Rádio Chopinzinho