EX-GOVERNADOR BETO RICHA É PRESO EM CURITIBA

O ex-governador do Paraná e candidato ao Senado Beto Richa foi preso na manhã desta terça-feira (11), em sua casa, no bairro Mossunguê, em Curitiba.  A esposa dele, Fernanda Richa, também foi presa. Ambos foram alvo de mandados de prisão emitidos pelo Gaeco, braço de investigação sobre crime organizado do Ministério Público do Paraná (MP-PR). Ainda não há mais detalhes sobre o que motivou as prisões.

Simultaneamente, a residência do ex-governador foi alvo de mandados de busca e apreensão da Polícia Federal (PF), na deflagração da 53ª fase da Operação Lava Jato, batizada de “Piloto”. Este era o codinome atribuído à Richa na planilha de propinas supostamente feitas pelo Setor de Operações Estruturadas da empreiteira Odebrecht.

Deonilson Roldo, chefe de Gabinete e braço direito de Richa, um de seus subordinados no governo e Jorge Atherino empresário, foram alvo de mandados de prisão da Lava Jato e serão levados para a Superintendência da PF na capital do Paraná.

Operação Piloto
A prisão de Beto Richa faz parte da Operação Piloto, 53ª fase da Lava Jato. A Polícia Federal cumpre, nesta terça-feira, 36 ordens judiciais em Salvador, São Paulo, Lupianópolis (PR), Colombo (PR) e Curitiba.

O objetivo da investigação é a apuração de suposto pagamento milionário de vantagem indevida no ano de 2014, pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, em favor de agentes públicos e privados no Estado Paraná, em contrapartida ao possível direcionamento do processo licitatório para investimento na duplicação, manutenção e operação da rodovia estadual PR-323 na modalidade parceria público-privada.

O nome da operação foi dado em referência ao apelido de Richa na planilha da empreiteira.

Crédito: Gazeta do Povo