Especialista dá dicas de como combater os ácaros no inverno

Eles são tão pequenos que chegam a ser invisíveis a olho nu, mas podem provocar grandes danos à saúde como sinusite, rinite, conjuntivite alérgica, entre outros. O risco aumenta ainda mais no outono e no inverno, quando se proliferam com maior facilidade.

Chamados de ácaros, os aracnídeos são primos distantes das aranhas e parentes mais próximos de outros artrópodes como carrapatos e parasitas da pele que causam a sarna.

Mas exterminar esse ser não é uma tarefa fácil. Segundo o médico Raul Emrich Melo, especialista em alergia-imunologia, palestrante e pesquisador da UNFESP (Universidade Federal de São Paulo), é impossível eliminar os “inimigos” totalmente.

Para se ter uma idéia, mais de 2 milhões de ácaros podem ser encontrados em um colchão com algum tempo de uso. Em entrevista ao eBand, o médico indicou algumas medidas que podem ser eficazes na prevenção das enfermidades causadas por eles. Confira:

Onde os ácaros são encontrados?
Em vários ambientes diferentes, por isso aqueles que causam alergia são chamados de ácaros da poeira doméstica. Algumas espécies, até pouco tempo atrás, eram encontradas exclusivamente em estocagem de grãos (como a Blomia Tropicalis), mas se adaptaram bem ao ambiente de nossas casas.

Que tipos de doenças podem provocar?
Rinite, asma (conhecida popularmente como “bronquite”), dermatites e conjuntivites alérgicas. Há casos descritos até de ingestão de ácaros (da farinha, por exemplo), causando reações generalizadas de alergia.

Por que eles se proliferam com mais facilidade no outono e no inverno?
Casas fechadas, aquecidas e com muitos tecidos no chão, no sofá ou em locais onde dormimos são ambientes bem-vindos aos ácaros. Mas estudos mostram que eles se mantêm em grande quantidade ao longo do ano e já houve disseminação para praticamente todos os cantos da Terra onde o ser humano constrói residência: na Rússia e no Alasca, por exemplo e, principalmente, nos países tropicais.

Algum equipamento é capaz de eliminar os ácaros, como prometem os fabricantes?
Aparelhos elétricos apenas funcionam quando diminuem drasticamente a umidade relativa do ambiente, para níveis entre 40 e 50%, e são mantidos ligados o tempo todo. Em relação aos aspiradores é importante escolher os que tenham filtro HEPA, uma sigla em inglês que significa a eficiência em bloquear a passagem de partículas muito pequenas, como as das fezes dos ácaros. Melhor ainda se for um aspirador de alta potência, pois permite a aspiração de camadas mais profundas de tecidos.

É possível confiar nos produtos que garantem eficácia contra esses seres?
A aplicação de produtos acaricidas [que matam os ácaros] pode ser interessante, mas tem efeitos limitados. O melhor é encapar ou se ver livre dos tecidos que facilitam a proliferação deles, da mesma forma como não deixar livros expostos. Além disso, controlar a umidade se ela atingir níveis próximos de 70%.

Como não são visíveis a olho nu, de que forma é possível detectar em qual ambiente se concentra a maior quantidade de ácaros?
Se os tecidos não estão expostos ao sol continuamente e compõem o ambiente caseiro habitual, já sabemos que estão lá em grande quantidade, assim como em lugares onde há acúmulo de pó. Já existem até cães que farejam os locais mais visados, o que não faz muito sentido pois sabemos exatamente onde os ácaros se reproduzem livremente.

Há alguma forma de prevenção?
Não é possível eliminar totalmente esses pequenos seres de uma residência, mas podemos diminuir bastante a sua quantidade, resultando em melhora de sintomas em muitos pacientes alérgicos. As providências começam com as capas anti-ácaros para colchão e travesseiro compradas em casas especializadas em material para alérgicos. Adicionalmente, deve-se encapar ou trocar a forração de sofás de tecido, dando preferência ao couro ou materiais impermeáveis. Bichinhos de pelúcia são problemáticos, então a opção é escolher um deles, assim como o “paninho de estimação” da criança, e colocar por algumas horas no freezer toda  semana. A orientação de colocar objetos domésticos ao sol esbarra na rotina urbana atual, mostrando-se muitas vezes contraproducente.

Curiosidades sobre os ácaros:

1. Se quatro ou cinco ácaros estiverem colados um ao outro é possível sua visualização a olho nu, ou seja, eles estão no limite de nossa capacidade de visão para coisas pequenas;

2. Um ácaro da altura de um ser humano, por exemplo, veria uma bactéria estafilocócica (que causa infecção de pele) passar ao lado com o tamanho de uma unha. Suas fezes seriam como bolas de golfe levíssimas, com capacidade de flutuar por muitos minutos;

3. As bolotas fecais dos ácaros são as grandes vilãs no desencadeamento de doenças alérgicas;

4. O tempo de vida de um ácaro é de alguns meses, com capacidade de ter dezenas de pequenos filhotes a cada mês;

5. Mais de 2 milhões de ácaros podem ser encontrados em um colchão com algum tempo de uso, com elevação de mais de 10% de seu peso.

Veja no vídeo acima um ácaro por meio de microscópio!